Ando por aí, por esse mundo imenso, de folha em folha...
Segunda-feira, 13 de Julho de 2009

Senhor Presidente da Câmara de Castro Marim,

 

Na sua última edição o Expresso ofereceu um mapa patrocinado pela Vodafone, do Alentejo e do Algarve.
É com redobrado espanto que verifico que o meu Presidente da Câmara é o único que consegue a brilhante proeza de ter as suas duas e únicas praias sem a classificação mínima para a ostentação da bandeira azul.
Seriam certamente preferíveis as bandeiras azuis em Altura e na Praia Verde em vez de tantas rotundas… Ou não: se calhar são as rotundas que atraem turistas… que sei eu…
É verdade que os habitantes comentam e fundamentam toda a violenta imundície existente em Altura com as “tricas políticas” entre os Presidentes das Câmaras envolvidos na já célebre, perpétua e intocável ETAR… Perto das conversas entre indígenas basta ouvido apurado …
Francamente, é mais do que tempo do Senhor Presidente se regalar com a vista espectacular dos depósitos/tanques abertos para deleite de todo o público, residentes e turistas, de cheirar Altura ficando perfeitamente inebriado e finalmente traduzir esse esplendor em cartazes eleitorais!
Em Castro Marim Deus dá nozes a quem não tem dentes, diz tanta gente!
Que tristeza. Não concorda?
É Allgarve! É Portugal!
Cumprimentos,
publicado por mariadoscaracois às 21:19
sinto-me: esverdungosamente suja


O meu Bonifácio está grande e aprendendo a voar melhor… É um menino macho, pela cor das penas. Tenho que me preparar para o dia em que ele irá abandonar este lar provisório. O pardal não é adequado a cativeiro – é livre e solto. Gostava que voltasse ao seu habitat de origem, no Alentejo.

 

Como já sabem resolvi arriscar e cuidar de um pardal quase em estado embrionário, sem penas, sem mãe e sem irmão, acompanhado de dois ovinhos que não chegaram a eclodir, sabendo que a possibilidade seria de 99% de sobrevivência. Passaram-se 3 semanas e fiquei feliz por ter resistido. Agora já tem penas e come como um leão
Perguntam-me o que lhe dou de comer. Puxei pela cabeça para chegar a uma ementa equilibrada…partindo do principio de que, em liberdade, os pardais comem sementes, cereais, insectos e larvas ou minhocas.
Ponho um pouco de carolo de milho (uma farinha grossa, amarela, que se compra em qualquer super), um pouco de couscous e um pouco de flocos de aveia ou de centeio (só os adicionei após 2 semanas). Cubro +- o dobro do volume de água. Levo ao microondas até levantar fervura. Deixo arrefecer para ver a consistência: se estiver muito grosso ou espesso adiciono água até ficar uma pasta relativamente mole que se assemelhe à massa regurgitada pela verdadeira mãe. Esta é a base da alimentação que guardo fechada no frigorifico, porque dá muita quantidade. (Nota: Um pouco = +- uma colher de chá mal medida.)
Retiro uma colher de chá de papa e adiciono meia fatia de ovo cozido picado com um garfo (gema e clara substituem as proteínas dos insectos, larvas ou minhocas). Umas vezes dou-lhe esta combinação, outras só a mistura de cereais. Se estivesse muito frio dar-lhe-ia um pouco de manteiga diluída nos cereais.
Como já está crescidinho também lhe dou bolacha Maria, bolo seco ou miolo de pão de mistura, tudo esfarelado e seco. As sementinhas próprias para pássaros ainda não são da sua predilecção… Os pardais pequenotes bebem pouca água e só hoje dei pelo jeito do meu pardal beber água sozinho. Também não toma banho como os outros passarinhos costumam fazer… Há duas noites começou a dormir no poleiro da gaiola…em vez de se esconder no pano…
Toda a comida é dada na boca até eles saberem bicar. Água em gotas. O meu já bica na palma da minha mão, gosta muito de roer as minhas unhas e conhece-me a voz. Anda muito livre pela casa… empoleirado no meu dedo ou nas grades exteriores da gaiola. Tento esticar-lhe as asas, obrigando-o a voar pequenas distâncias. Pula pelo chão e suja tudo… (quase arrisco dizer que o pardal é o único pássaro que dá pulos).  Adora festas e quantas vezes adormece na curva do meu braço ou na palma da minha mão… Ninguém acredita: mas quando vêem, pedem para fotografar, tal o espanto…
Nos primeiros dias ficava escondido no núcleo do ninho, que recolhi e acondicionei numa caixa de papelão. Piava quando tinha fome. Mais tarde substituí o ninho sujo por um bocado de pano turco velho, tentando envolvê-lo sem o asfixiar. Dormiu assim 2 semanas até que desapareceu e eu levei duas horas procurando o pardal pela casa… Encontrei-o escondido no rolo de um tapete e vivo. Nesse dia comprei uma gaiola onde o coloco quando não posso olhar por ele… e também muito útil nas viagens… Arranjei um filho pardal, que anda comigo para todo o lado…mesmo para o Algarve. É uma companhia e peras! Pia que se farta (deve enjoar de carro, digo eu…)
 
publicado por mariadoscaracois às 21:16
sinto-me: pardala mamã
tags:


mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


Últ. comentários
nuncxa sei se podemos acreditar em tudo qo ue lemo...
Boa tarde,Deparei-me agora com o seu blog, uma vez...
Olá:Há poucos anos atrás encontrei um pardalinho, ...
http://reflexoes-masculinas.blogspot.com.br/2011/1...
The man is a Piece of Shit! How he ever became a ...
nos achamos um pardal telhado e nao sabemos o que ...
Uma carta escrita por uma mulher extremamente inte...
Quando assistia a reportagem da Estela no JO eu ja...
Bom dia:Gabriel, diga-me por favor, quantas doença...
Tem todo o direito ao seu protesto mas deveria pen...
arquivos
subscrever feeds